DICAS E CUIDADOS

O que não se deve usar

1- Nunca usar produtos alcalinos, ácidos ou abrasivos para limpar espelhos. Cuidado também com produtos que contenha amoníaco, cloro ou água sanitária, que estão em produtos que são vendidos para limpeza, pois são extremamente danosos ao espelho;
2- nunca utilizar produtos abrasivos (lixa, palha de aço, esponjosas ásperas, sapóleo, etc.) em qualquer superfície do espelho.

Como limpar

1) Iniciar a limpeza do espelho com espanador para retirar a poeira depositada em sua superfície. Em seguida, limpar o espelho com pano macio limpo, umedecido em água morna;
2) Um pano limpo e macio embebido em álcool também pode ser usado;
3) Depois de limpar, passar outro pano macio e seco em seguida, para retirar possíveis manchas de secagem. Sempre aplique o produto no pano e o pano no espelho, nunca borrifando líquidos diretamente no espelho.

Cuidados extras

1) Ao lavar paredes que tenham espelhos, nunca jogue água ou produtos químicos de limpeza, que possam escorrer por trás do espelho ou mesmo em suas bordas;
2) Tenha sempre o cuidado de secar as bordas do espelho. Este é o procedimento mais simples e seguro;
3) Em casos de espelhos com bordas justapostas, certifique-se de que nenhum resíduo de produto de limpeza fique incrustado entre as mesmas. Para secagem total entre as bordas, utilize jato de ar proveniente de um ventilador ou secador de cabelos, sem aquecimento;
4) Um ambiente ventilado inibe a condensação de umidade, que pode se corrosiva e prejudicial à conservação dos espelhos. Principalmente de banheiros, saunas, piscinas aquecidas ou outros ambientes, onde a exaustão natural de vapores de água e de amônia não for possível naturalmente, recomenda-se a instalação de exaustão forçada.

Limpeza e Manutenção
1) O Box deve ser submetido à manutenção, efetuada por um profissional capacitado, sempre que apresentar qualquer irregularidade:

• Porta abrindo ou fechando com dificuldade;
• Guia da porta quebrada ou com flexibilidade excessiva;
• Batedores inferior ou superior quebrados;
• Excesso de balanço do conjunto;
• Contato do puxador da porta com a lateral fixa;
• Após instalado, o box só poderá ser usado depois de 24 horas, período este necessário para a secagem do silicone de vedação.

2) Para conservar a beleza do seu box, mantenha-o sempre limpo e seco, seguindo as instruções abaixo:

• Não use produtos abrasivos, como lixa, palha de aço, etc;
• Não use ácidos;
• Evite o choque de materiais rígidos contra o vidro;
• Evite impactos violentos na abertura ou fechamento da(s) porta(s);
• Não deixe crianças desacompanhadas utilizarem o box;
• Em caso de mau funcionamento, entre em contato com o profissional ou empresa capacitada;
• Não use facas ou objetos pontiagudos para retirar as etiquetas;
• Use somente água, sabão ou detergente neutro ou produtos – específicos para limpeza de vidro;
• A permanência de gotas de água após o banho pode, eventualmente, provocar manchas d’água;

Portanto remova-as mantendo o box seco e limpo.

O vidro de segurança temperado pode quebrar com o manuseio inadequado, em situações de:

– Impactos violentos na abertura ou fechamento da(s) porta(s) do Box;
– Esforços mecânicos excessivos;
– Contato do vidro com materiais rígidos, como: metal, mármore, azulejo, granito, etc.

MANIPULAÇÃO E ARMAZENAMENTO

As peças de vidro devem ser manuseadas de forma que não entrem em contato com materiais que possam provocar danos físicos em suas superfícies ou bordas.

As peças de vidro, quando transportadas ou armazenadas, devem ser separadas por intercalários que protejam suas superfícies.

As peças de vidro devem ser transportadas ou armazenadas em pilhas apoiadas em material que não danifique as bordas (por exemplo: borracha, madeira, feltro), com inclinação de 4 a 6 graus em relação a vertical. Ângulos de inclinação menores que 4 graus podem ocasionar a queda da pilha de vidro para frente, enquanto ângulos maiores que 6 graus facilitam a quebra do vidro por compressão excessiva.

Quando as peças tiverem tamanhos diferentes, as suas superfícies e bordas devem ser protegidas de forma que se evitem pontos de pressão entre uma peça e outra. As pilhas devem ser cobertas de forma não estanque, a fim de permitir ventilação.

O local de armazenamento deve estar previamente reservado, preparado e limpo. Deve manter-se ventilado, seco, isolado de produtos químicos e livre de poeira ou material particulado por todo o período de permanência do vidro.

Cada unidade de acondicionamento deve identificar o tipo de vidro e suas dimensões, bem como conter símbolos convencionais de manuseio, proteção contra umidade e choques mecânicos.

Devem ser estudadas adequadamente as movimentações horizontal e vertical do vidro na obra, bem como sua montagem, em comum acordo entre fornecedor e consumidor.

Visando a uma melhor preservação das peças de vidro a serem armazenadas na obra, o prazo máximo e as condições de armazenamento devem ser estabelecidos de comum acordo entre fornecedor e consumidor.

Todos os sistemas de armazenamento de vidros (cavaletes, carrinhos, paletes, etc) devem ser construídos com robustez mecânica para acomodar a carga de vidro e devem apresentar estabilidade mecânica quando carregados (não podem tombar).

A base do sistema de cavalete pode ser inclinada ou paralela ao plano.

Para transporte e armazenamento de vidros insulados, vidros laminados, vidros com espessura maior que 10 mm ou com mais de 100 kg, a base do sistema deve ser inclinada em relação à horizontal formando um ângulo de 90° com a superfície de apoio ao longo da altura da peça.

O armazenamento e a retirada dos vidros em cavaletes de dois lados devem acontecer de forma alternada entre os lados, a fim de reduzir os riscos de acidentes.

TRANSPORTE

Carroceria em dia

Certifique-se sempre de que a carroceria do caminhão está em bom estado. Materiais pontiagudos podem danificar o vidro. Buracos podem deixar passar detritos.

Lonas

Em todo o transporte de vidro por meio terrestre, esteja ele em chapas ou já processado, é fundamental cobrir a carga com uma lona. Além de proteger contra a umidade, a lona resguarda a carga do impacto de objetos pesados que estejam sendo movimentados no ar. Isso inclui granizo, pedras e até pequenos animais.

 

Só na vertical

Nunca transporte as peças de vidro na horizontal, deitadas. Isso potencializa o risco de quebra, pois a área do vidro que recebe o impacto é maior.

Sobre rodas

O transporte de cargas frágeis pede que os motoristas desses veículos tenham outros cuidados além de seguir o Código Nacional de Trânsito, confira:

– Passar com cuidado em lombadas e depressões;

– Evitar postos de gasolina com piso irregular;

– Evitar freadas bruscas;

– Não trafegar muito próximo a outros veículos;

– Evitar ultrapassagens;

– Atenção especial com declives em pontes e viadutos;

– Cuidado redobrado em dias de chuva.

 

ESPELHOS DE PRATA E/OU VIDROS REVESTIDOS DE CONTROLE SOLAR

Recomenda-se o uso de intercalantes que não absorvam umidade, que sejam macios e que não ataquem o produto, como espuma de borracha e fitilho plástico.

Não misturar nos cavaletes de transporte ou de armazenamento chapas de espelho/vidros revestidos com chapas de vidro impresso – miniboreal ou canelado, por exemplo, cujas superfícies apresentam pontos duros que podem danificar a tinta protetora do espelho ou a face revestida.

Também não devem ser misturadas chapas inteiras com peças beneficiadas ou peças apenas cortadas, cujas arestas cortantes podem também agredir a tinta protetora do espelho ou a face revestida.

Fonte: ABRAVIDRO http://abravidro.org.br/